A Marca do Vampiro

O Senhor Karell Borotyn (Holmes Herbert) é encontrado morto na sua própria casa, com dois furos muito pequenos no seu pescoço. O doutor Doskil (Donald Meek) e o amigo Senhor Baron Otto (Jean Hersholt) estão convencidos de que o responsável pelo assassinato é um vampiro, especificamente conde Mora (Béla Lugosi) e sua filha Luna (Carroll Borland), fato ao qual o inspetor de policia (Lionel Atwill) se recusa a acreditar. Agora sua filha Irena (Elizabeth Allan) é o próximo objetivo do Conde. Conde Mora e sua filha aterrorizam todos que vivem próximos ao castelo fazendo várias vítimas. Entra em cena o Professor Zelen (Lionel Barrymore), um perito em vampiros e ocultismo, que tentará impedir a morte de Irene, ao mesmo tempo, mistérios rodeando a morte do Senhor Karell serão revelados.
 
A Marca do Vampiro "Mark of the Vampire", 1935 (também conhecido como Vampires of Prague) é um filme de Horror notável dirigido por Tod Browning e estrelado por Bela Lugosi, Lionel Barrymore, Elizabeth Allan, Lionel Atwill, e Jean Hersholt. 

Hoje é considerado uma nova versão de um filme mudo de 1927, "London After Midnight" também de Tod Browning. A Marca do Vampiro foi produzido 4 anos depois de "Dracula" (1931) clássico de Tod Browning, com Bela Lugosi.

Curiosidades:


O filme foi originalmente lançado com 75 minutos, mas foi cortado pela MGM e passou a ter 60 minutos . Segundo informações, isto aconteceu pelo fato de conter algumas cenas de incesto entre conde Mora ( interpretado por Lugosi) e sua filha. Contudo, o comentário auditivo sobre o DVD não faz nenhuma menção do incesto mas sugere que a maior parte do material cortado foram cenas cômicas.

A chegada de longas como Dracula e Frankenstein nos anos 30 fizeram os filmes de horror ficarem mais fantásticos. Isto fez com que o desfecho das tramas se torna-se previsível demais e Bela Lugosi, segundo informações, achou que era hora de mudar. Mesmo com a mudança, o filme é uma semi-nova-versão de London After Midnight no qual Lon Chaney fez um vampiro, portanto o roteiro não pode ser considerado original. Contudo, muitos consideram-no uma sátira aos clichês dos filmes de horror.

Importância:


A Marca do Vampiro é incondicionalmente recomendado aos fãs de filmes clássicos de Horror e aos que acompanham a carreira do eterno Drácula. Ele estabeleceu o padrão de filmes como "Vampira" dos anos 50, "Morticia" da Família Addams nos anos 60 e "Elvira" nos anos 80. Visualmente este filme é sensacional, com efeitos especiais moderados que acrescentam muito à atmosfera sombria que passa, fator essencial para um bom filme do gênero. Lugosi ainda tem o seu famoso olhar sombrio franzindo a testa, uma ótima alusão ao imortal "Dracula", e Carroll Borland tráz a essência de um estilo gótico vampirístico. A Marca do Vampiro não é um típico filme de Horror, mas sim uma sátira intencional aos clichês já saturados das películas de Horror da época.



Título Original: Mark of the Vampire (1935)
Cor: P&B
Região do DVD: Todas
Legenda: Português
Idiomas / Sistema de Som:
Inglês - Dolby Digital 2.0
Formatos de Tela: Fullscreen

Gostou? #Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos para o Hell Business, por isso caso tenha algo a acrescentar ao artigo ou apenas quer expressar sua opinião, não deixe de comentar.

 
Copyright © 2008 - 2017 Hell Business - O Reduto dos Monstros