O dia em que Roger Corman salvou Hollywood

No final da década de 1960 Hollywood passou pela sua maior crise. A ascensão do cinema moderno europeu e as transformações políticas e sociais da década de 1960 estão entre os fatores que contribuíram para o colapso do modelo narrativo clássico consagrado em Hollywood. Neste momento, despontava uma produtora de filmes de baixo orçamento que tinha como principal alvo o público jovem. Tratava-se da American International Picture, produtora que tinha entre seus realizadores o lendário Roger Corman.

Corman se dedicou à produção e direção de filmes baratos, principalmente do gênero Horror, e conseguiu entrar em sinergia com o público jovem, que estava saturado do modelo clássico narrativo de Hollywood e sedento por filmes mais viscerais. Enquanto os grandes estúdios andavam a passos cambaleantes em função do declínio das bilheterias, Corman lotava salas de cinema e Drive-ins, abrindo portas para dezenas de novos artistas, dentre eles os atores Robert de Niro e Jack Nicholson, e os diretores John Landis, Francis Ford Coppola, Martin Scorsese e  James Cameron. A atuação de Corman e desses novos realizadores contribuiu para a reconfiguração do cinema hollywoodiano, que veria a recuperação de sua economia com o sucesso dos clássicos da Nova Hollywood.




A partir de 1967, cujo marco é Bonnie and Clyde (1967), de Arthur Penn, os realizadores da chamada Nova Hollywood conseguiram estabelecer um equilíbrio entre arte e entretenimento, produzindo obras primas que reuniam elementos da narrativa clássica e moderna. Este período áureo do cinema Hollywoodiano durou até 1980, quando começou a ser sufocado por um tipo de cinema que havia iniciado em 1975, com Tubarão (1975), se consolidado com Guerra nas Estrelas (1977), e a partir dos anos 1980 se tornaria hegemônico. Tinha inicio a Era dos Blockbuster, filmes "eventos" que têm como objetivo a maximização dos lucros através da produção de filmes superficiais.


Referências:

MASCARELLO, Fernando (org.). História do cinema mundial. Campinas: Papirus, 2006.
Biskind, Peter. Como a geração sexo-drogas-e-rock’n’roll salvou Hollywood. Easy Riders, Raging  Bulls  /  Peter  Biskind. Rio  de  Janeiro: Intrínseca, 2009.
SLIDE. Anthony. The New Historical Dictionary of the American Film Industry. Scarecrow Press, 1998.
Gostou? #Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Os comentários são muito bem vindos para o Hell Business, por isso caso tenha algo a acrescentar ao artigo ou apenas quer expressar sua opinião, não deixe de comentar.

 
Copyright © 2008 - 2017 Hell Business - O Reduto dos Monstros